ASSÉDIO SEXUAL: Como denunciar e se defender?

10:59

Oi loves, tudo bom ? 

Você sabia que mais de 40% de relatos ocorridos em um canal de denuncia estão ligados ao relacionamento interpessoal? E que dentro desta fatia, as práticas abusivas ligadas a assédio moral, sexual, agressão física, discriminação ou preconceito apresentam-se como mais recorrentes, equivalendo a 27,8% das denúncias.
Você também sabia que embora as mulheres sejam as vítimas mais comuns nos casos de assédio sexual, aproximadamente, 30% dos relatos de assédio sexual são realizados por homens em canais de denúncia corporativo?
Resultado de imagem

Os números da pesquisa da consultoria ICTS, especializada em gestão ética, infelizmente reforça um movimento que só cresce na sociedade , provando que ninguém está inume.
O caso sobre as recentes alegações de assédio sexual contra o poderoso produtor cinematográfico de Hollywood, Harvey Weinstein, reforçam e trazem à tona este tema em caráter mundial. Para elucidar o seu leitor, temos um especialista para orientar as empresas a tratarem desta questão com a seriedade necessária, assim como mostrar às pessoas, em especial as mulheres, como elas devem agir diante de um abuso.
Sabe-se que o assédio sexual, principalmente contra mulheres, é muito comum, mas ainda um tabu. No Brasil, temos casos recentes de assédio sexual e atentado ao pudor em transportes públicos que foram projetados na mídia. Nas empresas, este comportamento infelizmente é mais recorrente do que se imagina. Além do impacto psicológico e prejuízos causados na pessoa assediada, este comportamento é crime, tipificado no código penal, na CLT e descrito também pela OIT (Organização Internacional do Trabalho). As empresas devem coibir tais tipos de comportamento, por meio de comunicações internas e treinamentos, deixando esta temática clara em seu código de conduta.

Confira também

Comentários
0 Comentários

0 comentários